Criptomoedas: o que são e qual o motivo de ter virado febre

Hoje em dia, até mesmo aquela pessoa que nunca acompanhou o mercado financeiro já deve ter sido bombardeado com notícias sobre as criptomoedas. Mais especificamente, com a mais famosa delas: o bitcoin. Afinal, o que é uma criptomoeda, e por quê tantas pessoas falam -e investem – nelas?


O que são criptomoedas?

Entendendo como as criptomoedas funcionam

Criptomoedas são seguras?

O que são criptomoedas?

Uma criptomoeda nada mais é do que dinheiro, assim como as cédulas de papel ou as moedas que encontramos todos os dias e que movimentam nosso mercado. Entretanto, apesar de ser dinheiro, se difere da nossa moeda tradicionalmente conhecida por um motivo evidente: a criptomoeda atua apenas no mundo digital.

Outra característica importante desse modelo financeiro é por não ter nenhum órgão físico responsável pelas criptomoedas, já que sua criação se dá na chamada rede blockchain. Aquelas transações que realizamos nos bancos físicos que conhecemos, são armazenadas nessa rede, o que garante a confiabilidade desses processos e tenta assegurar sua segurança.

Apesar de parecer algo muito novo e criação do mundo atual, as moedas digitais já existem desde 1998, com uma ideia de acabar de vez com o modelo de moedas convencionais, onde existe sempre uma unidade física específica responsável pelo dinheiro em um país.

Entendendo como as criptomoedas funcionam

O grande objetivo de uma moeda digital é conseguir fazer todos os processos que uma moeda convencional já faz hoje, e trazendo consigo a segurança que precisa ao não ter uma entidade responsável pela sua gerência.

Dessa forma, a criptomoeda se resguarda em uma espécie de “capa” protetora que atua como uma camada extra de segurança na internet, a criptografia. Por meio dessa proteção, é possível impedir ou pelo menos retardar ações de fraude comumente encontradas no mundo digital.

Entendendo essa camada de segurança, fica mais palpável entender que uma moeda digital não permite nenhum tipo de transação física. Você não tira uma criptmoeda da carteira para pagar as compras do mercado, elas só existem na internet, dentro das suas redes de criação.

Quanto ao funcionamento da variação de valores, as criptomoedas funcionam com base na lei de oferta e demanda. Quando estão em foco mundial e sendo altamente faladas, naturalmente o seu valor de mercado sobe, acontecendo o exato oposto em períodos de pouca procura.

Criptomoedas são seguras?

O grande “vilão” das criptomoedas é a ausência de regulamentação para o seu uso no nosso território nacional. Afinal, apesar de todo o cuidado com a segurança e as camadas extras, um produto digital sempre estará sujeito a erros de servidor ou ataques cibernéticos.

Em 2019 um ataque de phishing causou o roubo de mais de 40 milhões de dólares em bitcoins. A vulnerabilidade da internet é de conhecimento mundial, mesmo com todas as técnicas de segurança.

Entretanto, esses casos são resumidos como isolados. Visto que atualmente, criptomoedas movimentam um dos mercados de investimentos mais aquecidos mundialmente. Seja para fazer a sua mineração, seja para investir, ou até mesmo já como moeda de uso cotidiano, visto que alguns lugares já começam a aceitar a moeda digital como forma de pagamento.

Mas lembre-se: sempre que optar pela aquisição de criptomoedas, mantenha todas elas salvas no Trezor, pois é a carteira de criptomoedas offline mais confiável do mercado. A Brazil Electronics tem estoque com entrega imediata no Brasil. Esteja mais seguro com uma carteira de confiança.

...